"O catequista é aquele que transmite o tesouro da fé católica!"

sábado, 11 de fevereiro de 2017

PADRE NAZARENO LANCIOTTI - UM MÁRTIR DO TERCEIRO MILÊNIO

Era um Padre missionário, da Diocese de Roma (Itália), que tinha se dedicado totalmente para a missão no Mato Grosso, ná paróquia de Jauru.

Nasceu em Roma de uma família humilde, mas cristã, aos 03 de março de 1940; seu pai Giacomo Lanciotti, era pedreiro e sua mãe Antonieta dona de casa; tinha duas irmãs: Franca e Ana Maria.

Entrou no Seminário Menor ainda criança, na cidade de Subiaco (Roma). Cursou as faculdades de Filosofia e Teologia no Seminário Maior de Subiaco. Foi ordenado Padre no dia 29 de junho de 1966  trabalhou como Vigário Paroquial na Paróquia de S. Giovanni Crisóstomo, no centro de Roma.

O seu apostolado era sobretudo devotado para os jovens. Tendo chegado a conhecer a Associação "Operazione Mato Grosso", engajou-se nela com outros jovens e tendo conseguido a licença de seu Bispo Diocesano , veio para Mato Grosso, em 1971, no ano, ou seja, em janeiro de 1972, estabeleceu-se num "lugarejo" (naquela época) chamado Jauru, no extremo noroeste do Brasil.

Aqui o Pe. Nazareno dedicou-se generosamente com todas as energias para o trabalho missionário, doando-se totalmente a todos, se interessando pelo bem espiritual e material de todo o povo. Foi com ele que surgiu a " Paróquia de Jauru", solicitada por ele próprio, ao Bispo Dom Máximo Bienés; Surgiu do "nada" uma Comunidade Cristã viva e fervorosa; foram trinta anos de trabalho missionário, sem descanso, porém, com muita alegria e entusiasmo, sem poupar sacrifícios e sustentado somente pelos dois amores: a Eucaristia e Nossa Senhora.

Tinha escolhido Jauru porque era o lugar mais pobre e abandonado da região; construiu para seus fiéis uma bela Igreja Matriz, um Hospital com 50(cinqüenta) leitos, um Asilo para os Idosos, uma escola Comunitária, um Seminário que preparou para a Igreja dezena de sacerdotes. Em 1988 assumiu a responsabilidade de animador do Movimento Sacerdotal Mariano no Brasil, foi um apóstolo incansável e entusiasta, percorreu todos os Estados do Brasil, fundando e celebrando Cenáculos de Maria entre os Padres e as Famílias. Em sua paróquia muito vasta com mais de 20.00(vinte mil) fiéis, instituiu 57 (cinqüenta e sete) comunidades eclesiais rurais, instituiu a Adoração Solene ao Santíssimo Sacramento todos os dias na Igreja Matriz; nas comunidades instituiu 200 (duzentos) Ministros do Culto Eucarístico, que guardam o Santíssimo Sacramento e promovem todos os dias com sua comunidade, o Cenáculo de Maria e distribuem a santa Comunhão. Os grandes cenáculos de Maria que Pe. Nazareno realizava nas grandes cidades brasileiras, juntando dezenas de milhares de devotos de cada vez, fizeram reflorescer a prática freqüente do Sacramento da Penitência e reavivaram a devoção a Santa Eucaristia e a Nossa Senhora.



Foi aqui em jauru que Pe. Nazareno conquistou a palma gloriosa do Martírio.



Na noite do dia 11 de fevereiro de 2001, em sua casa, cercado pelos seus colaboradores leigos, depois de um dia cheio de trabalho apostólico com os jovens,caía no chão, atingido por um tiro de  um Killer, que depois de ter-lhe cochichado ao ouvido "que tinha vindo para matá-lo porque atrapalhava alguém", o ferira gravemente na nuca. Era um crime por mandato de forças ocultas que encontravam no trabalho apostólico de Pe. Nazareno, o maior obstáculos para seus planos.

Pe. Nazareno morreu mártir pelo amor ao seu povo. Pe. Nazareno teve tempo de oferecer sua vida ao Senhor Jesus e a Nossa Senhora: inclinou a cabeça docemente , recebendo diante de seus colaboradores o tiro fatal.

Aceitou consciente e generoso o martírio, selando uma vida de fé e de incansável trabalho missionário, durante 30(trinta) anos, no recanto matogrossense de Jauru.

Poucas horas depois do atentado, recebendo a absolvição sacramental, o Pe. Nazareno dava seu perdão aos seus matadores e oferecia sua vida pela Igreja, pelo Papa, pela sua Comunidade e pelo Movimento Sacerdotal Mariano e renovara a sua consagração a Nossa Senhora, sua Mãe querida.



Durante 10 (dez) dias, o Pe. Nazareno viveu em plena lucidez, sofreu com serenidade e encerrou sua vida aos 22 dias do mês de fevereiro de 2001. Seu corpo repousa na sua Igreja Matriz, ao lado do Sacrário e do trono de Nossa Senhora do Pilar, amado e venerado pelos seus paroquianos e por muitos outros irmãos e irmãs que aprenderam com ele a viver a Consagração ao maculado Coração de Maria..

Seu lema era "coração Imaculado de Maria, confiança, saúde e vitória minha". A vida de Pe. Nazareno nos ensina a olhar para o futuro, cheios de confiança e generosidade, dispostos a enfrentar tudo por amor a Cristo, por Nossa Senhora e pela Igreja.

 O martírio de Pe. Nazareno é a pronta resposta ao apelo do Santo Padre João Paulo II de "Ir Avante", na certeza da vitória: o amor, a justiça e a paz hão sempre de vencer.

(Testemunho dos que estiveram junto do Pe. Nazareno).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!