"O catequista é aquele que transmite o tesouro da fé católica!"

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

De repente

Um soneto clássico do poeta Vinícius de Moraes para refletirmos sobre o nosso nascer, crescer, deixando a vida esvair-se diante de nossos olhos, sem percebermos a beleza de um sorriso, a importância de um verdadeiro encontro e a responsabilidade de se conservar os verdadeiros amigos. 


De repente 
De repente do riso fez-se o pranto 
Silencioso e branco como a bruma 
E das bocas unidas fez-se a espuma 
E das mãos espalmadas fez-se o espanto. 

De repente da calma fez-se o vento 
Que dos olhos desfez a última chama 
E da paixão fez-se o pressentimento 
E do momento imóvel fez-se o drama. 

De repente, não mais que de repente 
Fez-se de triste o que se fez amante 
E de sozinho o que se fez contente. 

Fez-se do amigo próximo o distante 
Fez-se da vida uma aventura errante 
De repente, não mais que de repente. 

Vinícius de Moraes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!